um pouco sobre

O Seminário

O Seminário “A Reforma Neoliberal do Ensino Médio - tempos difíceis para a escola pública” é o I Seminário Nacional da Rede EMpesquisa, criada por um grupo de pesquisadores com o propósito de formar uma rede nacional de acompanhamento do desenvolvimento da Reforma do Ensino Médio nos diferentes estados do Brasil. A Rede está representada em todas as regiões do País. Participam dela professores vinculados a programas de pós-graduação e estudantes de iniciação científica, mestrado e doutorado.  


O Seminário, organizado pelo Grupo Empesquisa-SP, tem por objetivo promover o encontro de pesquisadores nacionais envolvidos em projetos de investigação sobre a Reforma do Ensino Médio nos diferentes estados. O processo, que se iniciou com a Medida Provisória do governo Temer e se consolidou com a Lei 13.415/2017, tem produzido diferentes ações do poder público e das instituições escolares na adequação de seus sistemas às novas orientações. Existem tendências comuns entre os estados e outras que demarcam as especificidades locais, mas no geral são marcadas por um avanço do pensamento conservador e dos interesses do capital.


O processo de reforma que teve início já em 2019 precisa ser compreendido no contexto político, social e econômico mais geral, iniciado na década de ‘90 no Brasil, e nas reformas regressivas recentes no âmbito trabalhista. 


A Reforma de Ensino Médio não se deteve durante a pandemia, pelo contrário se intensificou em vários estados, sob fortes influências da mercantilização da educação. 


Assim, o Seminário “A Reforma Neoliberal do Ensino Médio - tempos difíceis para a escola pública” propõe um debate crítico sobre o controverso ‘novo normal’ que está sendo desenhado para o Ensino Médio e para a educação pública no Brasil.


Como esse processo tem ocorrido em cada um dos estados? Que atores têm participado? Como professores e estudantes estão avaliando os movimentos iniciais? Que impactos são possíveis de serem já percebidos na organização do trabalho pedagógico? O que esperar das reformas curriculares em curso? São estas algumas das questões que nos colocamos para esse encontro de pesquisadores.


A participação no seminário é gratuita. Um certificado será outorgado aos participantes. Os trabalhos poderão ser inscritos nos seguintes eixos:

GT 1: Estado, neoliberalismo e Ensino Médio

Este Grupo de Trabalho constitui um espaço de interação de pesquisas sobre a reforma do Ensino Médio, em esfera nacional, estadual, municipal e em diferentes redes de ensino, a partir de múltiplos referenciais teóricos e metodológicos, considerando investigações que se voltam à compreensão das relações governamentais e dos formuladores da reforma com os diferentes atores sociais e educacionais. Discutiremos inquietudes relacionadas a temas tais como: neoliberalismo e educação; educação, trabalho e subjetividade; formas de privatização; conservadorismo e fundamentalismo religioso e a “Nova Gestão Pública". Interessa-nos aqui, também, compreender as relações governamentais e de articulação com diferentes atores nacionais e internacionais; questionar alguns fenômenos dessa reforma, entre eles: Qual a influência dos organismos multilaterais e do empresariado, seus pontos de conflito e negociação na definição de prioridades, modelo de formação dos estudantes e de gestão na Reforma de ensino médio? Como o contexto nacional e internacional do capitalismo contemporâneo se expressa na reforma do ensino médio? Que atores estão em disputa? Quais os atores presentes e ausentes na formulação das políticas educacionais do ensino médio? Quais são os valores presentes na reforma; quais são as implicações à formação do “novo trabalhador”?
 

GT 2: Reformas curriculares e BNCC

Este Grupo de Trabalho se constitui como um espaço de interação de pesquisas com diferentes abordagens teórico-metodológicas e perspectivas analíticas. O foco é promover o diálogo entre pesquisas que possam contribuir para a compreensão sobre as mudanças curriculares presentes na lei 13.415/2017 e a BNCC. Ao mesmo tempo, são esperados trabalhos que investiguem as possíveis alterações da estrutura curricular, provocadas pela Reforma do Ensino Médio, e seus impactos nos conteúdos a serem ensinados. Diferentes estados divulgaram recentemente novos documentos curriculares para a orientação do ensino médio, em consonância com a lei da Reforma e a BNCC. Nesse contexto, este GT busca analisar e discutir: Quem define os conteúdos e as aprendizagens essenciais? Quais os grupos atuantes nas elaborações dos currículos estaduais e com quais interesses eles se vinculam? Quais os contornos que os currículos estaduais têm adquirido a partir da reforma do ensino médio? Quais conhecimentos permanecem e quais ficarão de fora? Quais princípios têm fundamentado a atual reforma curricular?
 

GT 3: Juventudes, cotidiano escolar e resistências

Este Grupo de Trabalho reúne pesquisas com diferentes abordagens teórico-metodológicas e perspectivas analíticas focadas na articulação entre escola e juventude, com o objetivo de discutir a Reforma do Ensino Médio. Portanto, o foco deste GT é colocar em debate pesquisas que têm adentrado ao cotidiano escolar, elucidando as transformações recentes vividas nessas instituições, no que diz respeito às suas dinâmicas e às relações com juventudes, bem como os possíveis movimentos de resistência juvenil que surgem no contexto da Reforma. Assim, propomos como questionamentos: quais são os possíveis impactos da Reforma do Ensino Médio na constituição dos modos de ser jovem na sociedade contemporânea? Como a atuação das fundações na educação influencia na formação das juventudes e opera a partir da Reforma do Ensino Médio? Como as alterações curriculares da Reforma do Ensino Médio poderão impactar a formação das juventudes? Quais são as expectativas e os anseios dos jovens em relação ao ensino médio e sua formação? Como a Reforma do Ensino Médio tem sido recebida e percebida pelos(as) jovens? É possível um olhar sobre a Reforma do Ensino Médio a partir de movimentos de resistência juvenil?

GT 4: Condições de trabalho na educação

Este Grupo de Trabalho se constitui como um espaço de interação de pesquisas com diferentes abordagens teórico-metodológicas e perspectivas analíticas que contribuem para a reflexão sobre como a Reforma do Ensino Médio traz desdobramentos para a organização do processo de trabalho na educação. Nesse sentido, questiona-se, por exemplo: como essa atual reforma modifica as relações de trabalho na escola e na gestão escolar? De que maneira a formação docente e os processos de profissionalização são reconfigurados nesse contexto?  Como a lógica empresarial e a atuação das fundações na educação influenciam na gestão e na organização do trabalho na escola? Quais as consequências do aumento dos ambientes virtuais e informatizados no processo de trabalho, e como essa nova dinâmica reconfigura as esferas da produtividade e da precarização e intensificação do trabalho? Como a desigualdade de gênero se expressa nessas dinâmicas de intensificação e informatização do trabalho na educação?  
 

Quem somos

EMpesquisa é um grupo interinstitucional que nasceu em 2013, a partir da preocupação de um conjunto de pesquisadores com os rumos e mudanças para o Ensino Médio brasileiro, que começavam a ser definidos no âmbito do Congresso Nacional.  Tem como propósito articular investigações científicas em torno dos mais variados aspectos que envolvem, direta ou indiretamente, o Ensino Médio. Atualmente existe a Rede EMpesquisa, foca a realização de  uma pesquisa nacional intitulada “Reforma do Ensino Médio com a Lei 13.415/2017: percursos das redes estaduais e da rede federal de Ensino Médio”. Participam professores vinculados a programas de pós-graduação e estudantes de iniciação científica, mestrado e doutorado das seguintes instituições:

Região Sul: UFPR, UFSC, UEM, UNISC, UFRGS, UEL, UTFPR, IFC, Unisul, IFSC, Unespar, URI, IFSUL, IFPR, UFFS SC
Região Sudeste: UNICAMP, CEDES, IFSP, UFMG, UFES, UFU, UFF, PUC-SP, IFMG
Região Centro-oeste: UFG, UFMS, UEG, IFGoiano, IFG, UFMT
Região Norte: UFPA, UFAC, UFAM
Região Nordeste: UFAL, IFRN, UFMA, UFRN, UESPI, UFRB

EMpesquisa encontra-se inscrito no diretório de grupos de pesquisa do CNPq sob liderança da Profª Drª Nora Krawczyk (Faculdade de Educação – Unicamp) e como vice-líder a Profª Drª Monica Ribeiro da Silva (UFPR).

 


 

EMpesquisa – São Paulo é um grupo de pesquisa da Faculdade de Educação – Unicamp, que nasceu em 2018 e forma parte do grupo interinstitucional que leva o mesmo nome. Está dedicado à pesquisa da Reforma de Ensino Médio do Estado de São Paulo e é composto por professores das diferentes redes de Ensino Médio do estado, por estudantes de iniciação científica, mestrado e doutorado, sob a coordenação das professoras Dirce Zan e Nora Krawczyk. 

 
Alexandre Barbosa Pereira

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2000). É professor da Universidade Federal de Alfenas/MG (Unifal-MG), atuando em cursos de graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Atualmente é coordenador do Grupo de Trabalho 03 - Movimentos sociais, sujeitos e processos educativos da ANPEd (2020-2021) e membro da Câmara de Ciências Humanas, Sociais e Educação da FAPEMIG (2021-2022). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Educação, Sociologia da Juventude, e História dos movimentos estudantis. Pesquisador do CNPq.

Márcio
Pochmann 
Márcio-Pochmann.jpgpb.jpg
Roberto
Leher

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (1998), desenvolve pesquisa em políticas públicas em educação. Foi reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (julho de 2015 a julho de 2019). Atualmente é professor titular da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na linha Políticas e Instituições Educacionais. Coordena o Coletivo de Estudos em Marxismo e Educação (COLEMARX) e é colaborador da Escola Nacional Florestan Fernandes. Pesquisador do CNPq.

Programação

terça, 29 de junho
14:00
Abertura do Seminário
14:30
Sessão de comunicações dos GTs
19:00
Educação e mercantilização em meio à tormenta político-econômica do Brasil
CONFERÊNCIA  
Dr. Roberto Leher
quarta, 30 de junho
14:00
Sessão de comunicações dos GTs
19:00
Juventude e Escola:
desafios e resistências
Dr. Luis Antonio Groppo 
Dr. Alexandre Barbosa Pereira  
Dra. Dirce Zan 
quinta, 01 de julho
14:30
19:00
Sessão de comunicações dos GTs

Organização

Adriana Duarte - Universidade Federal de Minas Gerais 
Cassio Silva - Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) - UFJF.
Dirce Zan - Universidade Estadual de Campinas – Unicamp
Jaqueline Moll - Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Maria José Pires Barros Cardozo - Universidade Federal do Maranhão (??)
Monica Ribeiro - Universidade Federal do Paraná 
Nora Krawczyk - Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Sandra Garcia - Universidade Estadual de Londrina UEL
Silvia Conde Nogueira - Universidade federal do Amazonas
Suzane da Rocha Vieira Gonçalves - Fundação Universidade do Rio Grande do Sul

Comitê científico
Comitê organizador
 
 
 
 

Convidados

Alexandre-Barbosa-Pereirapb.jpg
Alexandre Barbosa Pereira

Doutor em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). É professor da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) no Departamento de Ciências Sociais e no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Pesquisador associado ao Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana (USP), ao Grupo de Pesquisas Visuais e Urbanas (UNIFESP) e ao Laboratório Interdisciplinar de Ciências Humanas, Sociais e Saúde (UNIFESP). Membro fundador da Rede de Estudos sobre Experiências e Ações Juvenis (REAJ). Desenvolve pesquisas nas áreas de Antropologia Urbana, Antropologia da Educação e Antropologia da Juventude. 

Gaudencio
Frigotto

Doutor em Educação: História, Política e Sociedade pela PUC-SP (1983). Atualmente é professor associado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e professor titular aposentado em Economia Política da Educação na Universidade Federal Fluminense (UFF). Pesquisador CNPq. Coordenador do Grupo CNPq - Trabalho, História, Educação e Saúde (THESE). Sócio fundador da ANPEd. Membro fundador do Núcleo de Estudos e Documentação sobre Trabalho e Educação (NEDDATE). Fundador e coordenador do GT Trabalho e Exclusão Social do Conselho Latino Americano de Ciências Sociais (CLACSO). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nos temas: educação e trabalho, educação básica e educação técnica e profissional na perspectiva da politecnia, educação e a especificidade das relações de classe do capitalismo no Brasil.

Gaudencio-Frigotto.jpgPPB.jpg
Luis-Antonio-Groppo.jpgpb.jpg
Luís Antônio
Groppo

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2000). É professor da Universidade Federal de Alfenas/MG (Unifal-MG), atuando em cursos de graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Atualmente é coordenador do Grupo de Trabalho 03 - Movimentos sociais, sujeitos e processos educativos da ANPEd (2020-2021) e membro da Câmara de Ciências Humanas, Sociais e Educação da FAPEMIG (2021-2022). Tem experiência na área de Sociologia da Educação, de Sociologia da Juventude, e de História dos movimentos estudantis. Pesquisador do CNPq.

Márcio
Pochmann 

Doutor em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (1993). Pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (1989), professor (1994), Livre Docente (2000) e Titular (2014) pela Unicamp. Atualmente é professor colaborador voluntário no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Social e do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento, políticas públicas e relações de trabalho. 

Márcio-Pochmann.jpgpb.jpg
Roberto-Leher.jpgpb.jpg
Roberto
Leher

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (1998), desenvolve pesquisa em políticas públicas em educação. Foi reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (julho de 2015 a julho de 2019). Atualmente é professor titular da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na linha Políticas e Instituições Educacionais. Coordena o Coletivo de Estudos em Marxismo e Educação (COLEMARX) e é colaborador da Escola Nacional Florestan Fernandes. Pesquisador do CNPq.

Programação

A participação no seminário é gratuita.
Um certificado será outorgado aos participantes.
terça, 29
junho
quarta, 30
junho
quinta, 01
julho

Clique aqui para assistir à transmissão no youtube.

14:00
14:00
14:00

Sessão de abertura

 

Representante da direção da Faculdade de Educação

Antonio Carlos Amorim

Coordenador Pós- graduação em Educação/FE

Monica Ribeiro da Silva

Coordenadora

EMPesquisa nacional 

Nora Krawczyk

Coordenadora EMpesquisa estadual.

Sessão de comunicações
dos GTs
14:30
Sessão de comunicações
dos GTs
Sessão de
comunicações
dos GTs
18:00
19:00
19:00

Clique aqui para assistir à transmissão no youtube.

Clique aqui para assistir à transmissão no youtube.

Clique aqui para assistir à transmissão no youtube.

Lançamento pelo Ação Educativa: "Indicadores da Qualidade no Ensino Médio (Indique)

Conferência
Educação e mercantilização
em meio à tormenta
político-econômica do Brasil
Roberto Leher
Juventude e Escola:
desafios e resistências
Luis Antonio Groppo 
Alexandre Barbosa Pereira Debatedora: Dirce Zan 
Mesa de encerramento
Educação e trabalho em tempo
de desemprego estrutural
Gaudêncio Frigotto 
Marcio Pochmann
Coordenadora: Nora Krawczyk

Organização

Comitê organizador
Comitê científico

Adriana Duarte - UFMG

Cassio Silva - CAEd - UFJF.

Dirce Zan - Unicamp

Jaqueline Moll - UFRGS

Maria José Pires Barros Cardozo - UFMA

Monica Ribeiro da Silva - UFPR

Nora Krawczyk - Unicamp

Sandra Garcia - UEL

Silvia Conde Nogueira - UFAM

Suzane da Rocha Vieira Gonçalves - UFRGS

Ana Beatriz Gasquez Porelli  - Pós-graduação em Educação, Unicamp

Anniele Ferreira de Freitas - Pós-graduação em Geografia, Unicamp

Cristiane Nadaletti  - IFSP

Danielle de Sousa Santos - IFSP

Dirce Zan - FE, Unicamp

Fernanda Dias da Silva - SEDUC - SP

Josilaine Gonçalves - Escola Estadual Ministro Alcindo Bueno de Assis , Bragança Paulista

Nora Krawczyk - FE, Unicamp

Paula Montenegro Euzébio - Pós-graduação em Educação, Unicamp

Rodolfo Soares Moimaz - Pós-Graduação em Sociologia, Unicamp

Sérgio Feldemann de Quadros - Pós-graduação em Educação, Unicamp

Sílvia Forato de Camargo - Escola Estadual Luiz Leite- Amparo SP

Silvia Beltrane Cintra – Centro Paula Souza

Tatiana de Oliveira - IFSP

Tayná Lucio - Pós-graduação em Educação, Unicamp